Procure um Médico

Proposta de paralisação do Sinsaúde não teve adesão

21 de junho de 2017

Na terça-feira 20, uma notícia do Sinsaúde dava conta de uma paralisação na Santa Casa de Valinhos, reivindicando um aumento salarial de 5%, enquanto a proposta da administração do hospital é reajustar os salários pelo índice de inflação do período de junho de 2016 a maio de 2017, isto é de 3,35% em uma única parcela e manutenção das cláusulas do acordo anterior.

Ao contrário do que foi anunciado o clima na Santa Casa foi de total tranquilidade, não houve paralisação e todos os atendimentos foram realizados normalmente.

O provedor Cláudio Trombeta disse que o Sinsaúde quis fazer um movimento, mas os funcionários reagiram com sensatez, por isso agradeço aos nossos colaboradores que entendendo o momento de dificuldade da Santa Casa de Valinhos optaram pela não paralisação.

“Temos desafios grandes, estamos reestruturando a Santa Casa, peço que tenham paciência, no tempo certo vamos procurar atender a todos. Ao longo dos 56 anos da existência do hospital foram muitas dificuldades, agora estamos enfrentando mais uma, tivemos que fazer demissões, reduzir o número de leitos, não tivemos escolha, procuramos otimizar e melhorar para que a Santa Casa continue atendendo a população”, destaca o provedor.

Desde março está em vigor o contrato de prestação de serviços com a Prefeitura Municipal que é a gestora do SUS. Esse é o primeiro e será preciso fazer uma reavaliação. E o provedor destaca: “Quase que diariamente estamos encaminhando informações para a Prefeitura numa prestação de contas de todo trabalho realizado, da mesma forma somos auditados pelos Planos de Saúde, temos um passivo grande que precisa ser administrado, mas estamos fazendo todo trabalho com total transparência, inclusive com auditoria de terceira parte nas demonstrações contábeis e no sistema de qualidade.

“Temos um trabalho limpo, porta aberta, trabalho voluntário e responsabilidade civil sobre todas as nossas ações. Anualmente atendemos uma população da cidade, são mais de 100 mil atendimentos e como todos sabem saúde é cara, mas nossa luta é oferecer um serviço de qualidade para todos os nossos clientes”.