Procure um Médico

Programa de Descarte Consciente gera economia na coleta de lixo infectante

9 de janeiro de 2018

A Santa Casa de Valinhos vem desenvolvendo desde abril de 2017 o Projeto “Descarte Consciente”, uma parceria pela sustentabilidade e meio ambiente. O objetivo é gerenciar um conjunto de procedimentos, visando garantir aos resíduos gerados, o chamado lixo branco, infectante, um encaminhamento seguro e de forma eficiente, visando à proteção humana, a preservação do meio ambiente e a sustentabilidade financeira da Instituição.

A coleta até então era realizada pela Prefeitura, que a partir de junho de 2017 passou a cobrar pelos serviços

Fernando Pozzuto gerente de RH e responsável pelo Projeto lembra que este novo custo, significaria um acréscimo para Santa Casa  por mês. “A primeira medida que adotamos foi de não manter a coleta através dos serviços públicos, mas fazer um contrato diretamente com empresas especializadas neste tipo de serviço e conseguimos uma diminuição nos custos de 20%”.

Mesmo com esse procedimento o valor deste novo custo, permanecia pesado, foi aí que o Programa Descarte Consciente entrou em ação. “Fomos nos capacitar para gerenciar com qualidade esse programa, colocamos em prática as novas políticas internas de segregação de resíduos hospitalares, adequamos a estrutura física com complemento de lixeiras com sacos com cores específicas para cada tipo de lixo, inclusive colocando legendas nas tampas com listas de materiais corretos a serem desprezados. Hoje temos a grata satisfação de mostrar um resultado melhor que a meta proposta de 4,5 toneladas, pois reduzimos a quantidade de lixo branco de 6,1 toneladas para 3,7 toneladas”, lembra o gerente de RH.

“Todo o trabalho exigiu muita dedicação porque foi mudança de cultura e constantemente são realizadas auditorias em cada setor, em cada lixo, para constatar se os lixos estão desprezados corretamente. O resultado só foi possível pela colaboração de todos, também dos membros da CIPA – Comissão Interna de Prevenção de Acidentes e do SESMT- Serviço Especializado em Engenharia e em Medicina do Trabalho, e um agradecimento aos funcionários que entenderam a importância do programa e estão desprezando os lixos corretamente”, destaca Fernando Pozzuto.

O resultado de tudo isso foi uma grande economia, o custo inicial em junho/17  de 6.1 toneladas de lixo branco tinha um percentual de 100% chegando a novembro de 2017, com uma redução para 3,7 toneladas de lixo branco . A redução acumulada no período equivalente é de 39% na quantidade de lixo branco, que refletiu da mesma forma na redução do valor da fatura cobrada para a coleta desse resíduo hospitalar.

Postado em Boletim | Tags: